Ads Top

Entrevista No Lustre | Rogério Flausino fala sobre os 20 anos de carreira e o projeto Acústico Jota Quest


Quem nunca ouviu os sucessos de Jota Quest, como 'Só Hoje' e 'Na Moral'?  A banda que já tem mais de 20 anos de carreira e não para de emplacar músicas nas paradas das rádios. 

Para comemorar toda essa trajetória e trazer algo novo para os fãs, a banda mineira está lançando as novas músicas do Acústico Jota Quest em uma ação super envolvente chamado Músicas Para Cantar Junto.

No dia em que a banda lançou mais duas músicas do projeto, 'Amor Maior' e 'Blecaute', Rogério Flausino, que tinha acabado de sair do show do irmão, Wilson Sideral, conversou com a nossa equipe por telefone para dar mais detalhes dessa fase da banda.



Comecei a entrevista perguntando o que fazia do Acústico Jota Quest algo tão especial para ele. “Para qualquer banda, já seria interessante parar para ver todo o repertório de uma maneira musicalmente nova. Mas são mais de 21 anos de caminhada discográfica para chegarmos até aqui e isso gerou todos os sentimentos: de curiosidade, em ver como que tudo isso iria soar para as pessoas, e como desafio, principalmente para os meninos da banda em tocar as músicas de uma forma nova e diferente.”

Depois de 7 meses preparando o Acústico, os shows do novo projeto começarão ainda em agosto. “Vamos começar mineiramente”, disse o cantor, ao citar o show do dia 18 de agosto, em Juiz de Fora. E a primeira capital a receber a turnê, será Porto Alegre no dia 2 de setembro.

Com 8 álbuns de estúdio, além dos álbuns ao vivo e coletâneas, a banda passou por muitas mudanças nesses 20 anos. “Começamos no final do vinil, então imagina! Passamos pelo vinil para o CD, do CD para a pirataria, da pirataria para o MP3, do MP3 para o YouTube e do YouTube para o Spotify. Vivemos tudo isso trabalhando muito, com os mesmos integrantes e enfrentando os desafios”, disse Rogério ao contar sobre a trajetória.



A banda está ativa nas redes sociais, fazendo lives e se conectando com o público através do Twitter. Quando comentei sobre isso, Rogério afirmou “estar conectado é uma realidade. Não digo que é uma necessidade, acho que é um realidade”.

Essa conectividade mostra o quanto a banda quer se aproximar com os fãs e não é a toa que agradam diferentes gerações.  O cantor conta sobre o começo da banda que tinha a ideia de fazer algo chamado de Brechó Music: “Quando o Jota apareceu, a gente trouxe o jeito antigo de tocar uma coisa que era nova.”  

Isso fez com que a banda atraísse pessoas mais jovens, mas também o público mais velho. E continuou: “Quando fizemos De Volta ao Planeta, que tinha o lance dos macacos, as crianças gostaram demais. Essas crianças cresceram e continuamos agradando. Somado com a gente nunca parar de trabalhar, acabamos continuando muito presente na vida das pessoas. ”

Finalizamos a entrevista perguntando para o Rogério Flausino o que ele tem mais ouvido recentemente. A resposta mostrou seu gosto eclético: O Rappa, Natiruts, The Weekend, Bruno Mars e Coldplay – “gosto muito do Coldplay, escuto o dia inteiro”. O cantor ainda comentou: “Acabei de vir do Chile e escutei muito a música Sol do Meu Amanhecer do novo álbum do Natiruts e está uma delícia.”  

A entrevista apenas aumentou a nossa expectativa do show que acontece em São Paulo, no dia 11 de novembro no Espaço das Américas.




Abraço, Rogério.

Amamos Jota Quest!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.