Ads Top

RESENHA: City and Colour se apresenta no Circo Voador, no Rio de Janeiro


Um ano após a sua primeira passagem em solo carioca, a banda canadense City and Colour contagiou mais uma vez o seu público fiel, em uma noite fria e chuvosa - inabitual aos moradores e surpreende aos visitantes -, com o folk romântico do cantor Dallas Green.

Com o mesmo grupo de apoio: dois guitarristas, um baterista e um sintetizador responsável pela melodia mais profunda da música, o show começou ao som de Woman, a primeira faixa do último disco da banda, If I Go Before You. O público, consideravelmente composto por casais e fanáticos antigos, acompanhou as nuances sonoras sintetizadas de Woman, cada um em sua viagem particular que envolvia uma bateria controlada ao fundo, e,  a suave voz de Dallas.


Na terceira música temos Two Coins, parte da regressão que começaria no início do show, e humildemente anunciava chegar até o final com Sometimes. Desde as músicas mais conhecidas da banda, as pouco tocadas em show, com um set list programado e surpreendente, apesar de negar-se a atender aos pedidos de musicas do fãs, justificando "não se sentir confortável" ao tocar tais musicas pedidas pela plateia, ela seguiu o show como o seu planejado. Com um guitarrista, e também back vocal, desenvolver de solos extremamente atraentes e dedilhados eletrizantes.

Wasted Love, com a guitarra mais próximo ao rock clássico de toda a apresentação, fez o público pular. Como Lover Come Back trouxe o aconchego e romance de volta aos casais que curtiam as composições românticas da banda.



Após a pausa esperada da longa sequência inicial, Dallas Green volta sozinho ao palco com Grand Optimist, uma das melhores versões ao vivo já escutadas. A melódica e emocionante Day Old Hate, abriu sequência para o final, para delírio e descontentamento do público - mal acostumado com o último show da banda que chegou a durar quase 2 horas.


The Girl trouxe a banda de volta ao palco para o segundo refrão, onde os seguidores de City and Colour conseguiam cantar mais alto que o próprio Dallas.



Os talentosos Jack Lawrence no baixo, Dante Schwebel na guitarra, Doug McGregor na bateria e Matt Kelly na guitarra de pedal, não permitiram que Dallas Green levasse sozinho o título da noite, ocupando devidamente os seus espaços interagindo com o público e encantando. City and Colour é obviamente uma das bandas que segue com o dever de retorno anual ao Brasil, pois o público é fixo, e o sucesso, garantido.

Confira mais fotos do show do City and Colour no Circo Voador, no site do I Hate Flash.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.