Ads Top

RESENHA: A Enigmática e Inovadora Clarice Falcão apresenta show no Circo Voador, no Rio de Janeiro


Aos 26 anos - em sua segunda turnê, promovendo o seu último álbum 'Problema Meu' -, Clarice Falcão mostrava-se graciosamente tímida a cada elogio vindo dos berros dos fãs extasiados na plateia do Circo Voador, na última sexta--feira (17).

“Despontualmente” pontual, às 23:40 a nave ferveu de corpos ansiosos que transformaram-se em vibrações positivas, gritantes e saltitantes, Clarice, com a voz delicada - porém precisa e potente - começou o seu 4ª show com “Irônico”, música que ganhou o primeiro videoclipe do álbum, com filmagem caseira e cenário carnavalesco, o vocal sereno e calmo logo se misturou ao fervoroso público, que gritava sem dúvida alguma a letra - que até mesmo Clarice, mais tarde, chegou a duvidar.

Monomania” e o seu instrumental simples, de violão, bateria e gaita, fez parte da noite, Clarice relembrou o seu CD de estreia com as canções Capitão Gancho - excepcionalmente levando os antigos fãs à lutarem contra os limites das cordas vocais -  e Eu Te Esqueci. O primeiro álbum de Clarice Falcão ainda está presente em seu repertório ocupando o lugar de pequenos intervalos entre as faixas da sua inovação.


Como É Que Eu Vou Dizer Que Acabou” é ainda melhor na versão ao vivo, com a combinação de voz e efeitos sintetizados + multidão é um completo elixir para o ritmo acelerado da melodia confusa e harmoniosa. Em “Duet” podemos nitidamente conhecer Danilo Andrade, o tecladista da banda de apoio que segura um solo de influência clássica com maestria, o teclado baixo é um dos diferencias de “Problema Meu”. A participação da cantora Letuce (Letícia Novaes) em “Eu Me Lembro” foi o ponto memorável da show, que além da sua voz rouca e expressiva, Letuce deixou sua marca registrada literalmente na boca de Clarice. A nave passou por uma forte turbulência.


Vagabunda” ganhou até cartazes com pedidos e trechos da música, sendo uma das melhores composições do álbum, fez parte do repertório da volta de Clarice ao palco para finalizar o show de mais de 01:30.

O crescimento de Clarice Falcão como artista e em sua música puderam ser notados nessa típica noite carioca, onde ela se mostra uma cantora que apesar de ainda tímida, é conhecedora do seu potencial e até onde explorá-lo. A interação com o público melhorou em escala fenomenal, a retórica, o carinho e a expectativa é mútua.

Com muita purpurina, a afirmação é certa: Clarice é uma grande diva do público LGBT.

Clique nas imagens e confira a galeria de fotos abaixo:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.