Ads Top

Confira tudo o que rolou no MECAPresents em São Paulo


Se autodenominando como o maior menor festival do mundo e orgulhando-se disso, a produção do festival MecaLove que nasceu no Sul do Brasil e eventualmente espelhou suas edições pelas capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, acabaram se tornando mais que um festival, e sim é uma plataforma de lifestyle que se inovou completamente após um sumiço das redes sociais durante o ano de 2015 e retornando com uma nova e única proposta de diversão que abrange música, games e sport, e o "novo Meca"  trouxe nessa quinta-feira, 28/01, a primeira edição do MecaPresents para o Audio Club, em São Paulo.

O MecaPresents foi uma prévia de tudo o que rolou no MecaStage, palco reservado para o Meca no festival Planeta Atlântida que acontece nesse final de semana em Porto Alegre, onde o Meca traz a Banda Tereza, Donavon Frankenreiter, BOY,  Bag Raiders e muito mais para a edição de 20 anos de um dos maiores festivais do Brasil.

A noite em São Paulo começou com a dupla de DJ's Selvagem, formada por Trepanado e Millos Kaiser, que carrega o título de uma das melhores festas de São Paulo e Rio. O som eletrohouse dos garotos deu início a uma noite que iria além do indie esperado; com uma sincronia perfeita com as luzes da casa, a música juntou pouco a pouco os convidados que chegaram com pontualidade britânica no evento.


A banda indie paulistina, Inky, é conhecida pelas suas mixagens entre instrumentos, onde muitas vezes Luiza (vocal e sintetizadores), Guilherme (baixo e vocal), Stephan (guitarra e sintetizadores) e Luccas (bateria) estão apenas seguindo os seus instintos ao vivo e criando, foi isso que aconteceu na apresentação durante o MecaPresents, a banda transformou o que qualquer um classificaria como bagunça, em um som extremamente atrativo e sensual. A mescla de som entre rock e eletrônico psicodélico é o diferencial da banda. Luiza ao vivo é muito mais do que em qualquer estúdio, a sua voz atraí todos os olhares para ela que displicentemente segue suas coreografias muitas vezes de cabeça baixa. Inky é exatamente a banda que todos precisam ver ao vivo antes mesmo de conhecer.


BOY, a duo queridinha e mais esperada da noite foi ovacionada pelo público do inicio ao fim do show (com direito de fã subindo no palco e tudo!), as meninas obviamente adoraram estar entre nós. Sabemos que quem rouba a cena facilmente é Valeska Steiner; com seu sorriso infantil que contagia e uma voz doce, mas que transpasse as barreiras da zona de conforto e se exibe radiante e forte durante os refrões mais altos. Sonja Glass entretanto não passa nem de longe despercebida; como baixista, a responsabilidade dela divinamente cumprida durante os solos se torna admirável, onde a banda de apoio entra em constataste e consegue tornar o instrumental um dos pontos mais altos do show, trazendo a essência do indie rock e levando todos ao êxtase.

As meninas que entraram com o atual hit da banda, We Were Here (também título do último álbum), a música diferentemente da versão estúdio, onde a mixagem faz parecer a presença de Steiner e Glass cantando, percebemos que quase seria completamente de Valeska senão fosse a participação essencial de Sonja como segunda voz no refrão do single.



A apresentação das meninas não se prendeu apenas ao último álbum, elas surpreenderam o público tocando músicas que fazem parte de Mutual Friends, o debut que mudou a carreira da banda. A voz dos fãs que acompanham BOY desde 2011 pôde ser ouvida durante Drive Darling em coro um constante.Waitress e Oh Boy que fizeram todos dançarem, não que em algum momento do show alguém tenha ficado parado; entre coreografias pessoais, pulos Eurocopa e até mesmo dancinhas em casal, todo mundo dançou das 01:38 até às 02:30.


Little Numbers foi o ponto alto da noite, que conseguiu superar desde a entrada das garotas até qualquer música que havia sido tocada, o teclado e a bateria que seguem o ritmo frenético desde o início da música são responsáveis por uma explosão que mescla eles ao som da guitarra soft e ao baixo no início do refrão.


A sincronia entre Valeska e Sonja torna a apresentação da banda enigmática; as duas estão sempre em estágios complementares até mesmo durante o improviso, a sensibilidade e intensidade da interação das duas juntas é obviamente um dos atrativos da banda, a qual com certeza superou todas as expectativas dos críticos que estavam ansiosos para recebê-las pela primeira vez no Brasil. Ao fim do show à conclusão geral é que;  BOY foi algo naturalmente criado para ser ao vivo e aquecer nossos ouvidos, e corações.


Porém, o No Lustre nem o Meca se despedem assim, muitas novidades estão por vir sobre a edição oficial do festival Meca Love que acontecerá em dia 02 de Abril em Porto Alegre. Aguardem, pois traremos todas as informações em primeira mão para vocês!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.